Cuidados com os remédios

 

Os remédios são fármacos, substâncias que foram desenvolvidas para trazer modificações nas reações do corpo com o intuito de ajudar no curso de uma doença. Hoje em dia, alguns medicamentos são vendidos livremente nas farmácias e outros precisam de prescrição médica, visto que o risco da automedicação no caso destes fármacos podem gerar dependência ou outro efeitos específicos de cada classe medicamentosa.

remédios

Seus remédios

A pessoa pode perfeitamente ter em casa um analgésico, antitérmico, antiespasmódico, xaropes, remédios naturais e outros que tratam sintomas. Porém, só o médico está habilitado a fazer diagnóstico de doenças e assim tratá-las, como no caso dos antibióticos.

Cuidado com os remédios

Pode não ser tão difícil identificar uma infecção, mas cada antibiótico só consegue agir em determinadas bactérias, e justamente por isto que não se pode vender indiscriminadamente uma Amoxicilina por exemplo. Esta poderá não ser eficaz contra a infecção por não agir nas bactérias que frequentemente colonizam aquela região, induzir resistência e a pessoa chegar até complicações.

Alguns remédios furam seus olhos

Os remédios podem ser muito caros, principalmente aqueles que atingem doenças menos típicas e raras. O governo brasileiro geralmente disponibiliza gratuitamente os remédios para este tipo de doença, com uma burocracia inimaginável.

As doenças crônicas são as que mais têm remédios disponíveis, como para a hipertensão. Os remédios, muitos deles encontrados nas farmácias populares por preços irrisórios ou até mesmo gratuitamente, são geralmente para a vida toda. Existem remédios genéricos, também mais acessíveis e com mesma eficácia embora alguns profissionais questionem.

Entendendo os remédios

Os remédios podem ser usados por via oral, intramuscular, endovenosa, pomada, gel, colírio e outros. Cada um tem a sua eficácia e ainda contraindicações. Pessoas em determinadas condições, com certas doenças, determinado sexo, idade não podem tomar remédios específicos para outros perfis, com risco de agravar ou até mesmo provocar doenças.

Existe ainda os efeitos adversos, sintomas indesejados que podem acontecer pelo uso de determinado remédio. Um exemplo é o Etambutol, usado para tratamento de tuberculose e que causa em crianças inflamação do nervo ótico.

Análise final

Resumindo: todo e qualquer tipo de remédio, jamais deve ser usado por conta própria, converse sempre com um médico antes de qualquer atitude precipitada, você já deve ter ouvido muitos casos de pessoas que ao utilizar um determinado medicamento, foi parar em um hospital com complicações mais sérias ou até mesmo entrou em óbito…o caso é sério ! Não dê sopa pro azar !
Fique a vontade pra comentar o assunto.

8 Dicas sem CHURUMELAS e é SUA ! Pegue-as agora !

Ronaldo

Olá meu nome é Ronaldo, tenho um filho e sou casado. Sou apaixonado por tudo que diz respeito a saúde e bem estar. Com um pouco de tempo estou me dedicando ao meu blog e irei postar aqui tudo direcionado a este assunto. Podem mandar seus comentários, críticas e sugestões ok ? O que vale aqui é aumentar a nossa qualidade de vida !

Website: http://www.saudeextrema.com.br

2 Comentários

  1. Vi uma vez numa entrevista, se não me engano com o médico Lair Ribeiro, que muitas vezes ele recebe um paciente, e sua primeira atitude é retirar os remédios do paciente. Depois ele volta ao consultório e já alega uma melhoria em sua saúde…o que prova claramente os remédios não são tão eficazes para a melhoria da saúde, mas sim sua a alimentação da pessoa.
    Parabéns pela postagem, Ronaldo. Acho que as pessoas deveriam tomar menos remédios e abusar das frutas, verduras e legumes, isso sim é saúde.

    • Olá Josemar, é um prazer tê-lo comentando aqui no blog ! Não sou especialista no ramo, mas noto que os remédios deixam as pessoas muito dependentes deles, pois temos esta cultura de que realmente dão resultados. Não que isto não seja verdade ! Mas tenho alguns conhecidos que não abrem mão de um remedinho, todo cuidado é pouco quanto a isso…um grande abraço !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *